Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
8
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Eduardo Cintra Torres

A liberdade rindo às gargalhadas

O fundamentalismo odeia a Liberdade. Muitos, no Ocidente, dão-na por garantida, e nunca está.

Eduardo Cintra Torres 9 de Janeiro de 2015 às 00:30

O fundamentalismo terrorista tem usado indecentemente a liberdade: atacou as Torres Gémeas sabendo que as veríamos ruir em directo na televisão. Mas no último ano, o terrorismo da Al Qaeda e do ISIS deu um novo passo: decapitou jornalistas ocidentais e agora chacinou a redacção de um jornal ocidental. Já não justifica o terror com o imperialismo ou a invasão dos seus países, já não se esconde debaixo dessa retórica mentirosa: ataca directamente um dos mais preciosos valores do mundo ocidental, a liberdade de expressão e de imprensa, que ele mesmo utiliza.
O fundamentalismo não odeia o ‘Charlie Hebdo’, odeia a liberdade. Muitos, no Ocidente, dão a liberdade por garantida, e nunca está. Muitos, como em Portugal, pouco lhe ligam — ou ligavam, porque a tragédia parisiense recolocou a liberdade no topo da agenda colectiva europeia e de milhões de consciências individuais. O ‘Charlie Hebdo’ foi sempre a liberdade a rir-se à gargalhada. Tanta liberdade e tanta gargalhada levaram o fundamentalismo a desmascarar-se: é a liberdade que ele quer destruir.

liberdade rindo gargalhadas fundamentalismo ocidente
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)