Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
6
12 de Junho de 2016 às 12:17
Eis um estudo que faltava: como se distribuem os telecomentadores políticos pelos partidos? Segundo o Laboratório de Ciências da Comunicação do ISCTE-IUL, 14 são militantes de PSD e CDS-PP e 13 são militantes de PS, BE, PCP e Livre. Além destes 27 comentadores residentes, o estudo distribuiu os outros 26 comentadores políticos pela "direita" (7), "centro" (9) e "esquerda" (10) a partir de posições que tenham assumido ou de opções eleitorais. Em resumo, há 23 de "esquerda", 21 de "direita" e 9 de "centro".

O estudo é útil e permite debater questões sobre o panorama político na TV. Mostra que os comentadores políticos – 53 – são "mais que as mães", mais, decerto, do que os comentadores de desporto, de cultura ou de economia. A nossa TV é muito politizada, o que corresponde a uma insuspeita politização dos portugueses.

Os números desmentem as noções expressas amiúde de que ora a "esquerda" ora a "direita" dominam o espectro televisivo. Há pluralismo partidário e equidade.

O estudo mostra o cordão umbilical das TV aos partidos. Não há nenhuma obrigação (excepto para a RTP, por força da lei feita… pelos partidos) para os canais terem comentadores partidários e nesta quantidade.

A TV em geral prescinde de comentadores independentes. Os militantes não são, na esmagadora maioria, verdadeiros comentadores, mas correias de transmissão em forma de gente das posições monolíticas dos partidos. Os espectadores perdem com a insuficiência de independentes (jornalistas, universitários). É preferível independentes como Miguel Sousa Tavares e José Gomes Ferreira (SIC), do que papagaios dos partidos.

O estudo não toma em conta, pois não era o seu escopo, que, em TV, também conta a capacidade de comunicação. Por exemplo, Vasco Pulido Valente, o mais brilhante comentador, na imprensa e em livro, foi um mau comunicador televisivo. E Marques Mendes, um comentador com agenda escondida, é um bom comunicador.

Há comunicadores partidários que são papagaios e outros que não são. Por exemplo, há três militantes do PSD, Pacheco Pereira, Ferreira Leite e Marques Mendes, que quase todas as semanas se distanciam das posições do seu partido, o que os torna mais interessantes do que aqueles que defendem sempre o catecismo partidário.

Faz falta um estudo que mostre ligações de comentadores políticos a interesses económico-financeiros, caso de Marques Mendes ou da ‘Quadratura do Círculo’ (SICN), em que o partido mais representado é… a Mota-Engil: Lobo Xavier é administrador e Jorge Coelho presidente dum Conselho Consultivo e Vice-Presidente dum Conselho Superior da Mota-Engil Angola.
TV correia de transmissão
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)