Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Eduardo Cintra Torres

Maioria absoluta contra o aborto!

A TVI faz a cena em direto em 'Jardins Proibidos' para aplicar o 'referendo' sobre a interrupção voluntária da gravidez de Raquel.

Eduardo Cintra Torres 14 de Novembro de 2014 às 00:30

Telenovela em directo: ‘Jardins Proibidos’ pôs a tele-referendo se a personagem Raquel deveria ou não abortar. Os tele-votos decidiram: 52% contra o aborto e 48% a favor. Quantos votos? Não sabemos. Quem os controlou? Não sabemos. Mas é giro.

A cena, com um minuto apenas, foi apresentada em directo, ou quase directo. Há mais de uma década que se fazem pelo mundo episódios ou parte deles em directo. A novidade, aqui, é os espectadores poderem "votar" entre sim ou sopas.

Opção popular, mas desinteressante: se os espectadores votam no enredo que preferem, qual a surpresa? Desaparece o papel da ficção de surpreender e oferecer alternativas à vida no mundo real. Reafirma-se o mundo como ele é. Ficamos na mesma.

A "abstenção" foi grande. Como de costume, o canal não divulgou os números de "votantes", só as percentagens. Mas sabemos pelas audiências que as "eleições" só influíram marginalmente. A novela segue com menos 450 mil espectadores que no início.

Primeiro segmento do comentário de Marcelo a desaparecer quando "não há tempo"? Os livros. A TVI sabe que é o segmento com menos audiência. E quando Marcelo mostra livros, a realização faz o possível por não mostrar as capas. Para não se dar por eles.

A tentativa de humor de Pires de Lima no parlamento foi caso da semana no país. Pobre país, com tão pouco para se entreter. A direita, conservadora, não quis aprovar. A esquerda desviou a conversa para a forma do humor, para não se falar do conteúdo.

opinião aborto tvi telenovelas
Ver comentários
C-Studio