Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Eduardo Cintra Torres

Volta a longa noite socratinista

Depois da censura facista, veio a longa noite socratinista contra a liberdade dos media e da justiça. Jornalistas e agentes judiciais, preparem-se.

Eduardo Cintra Torres 13 de Novembro de 2015 às 00:30
1 - Tal como Salazar antes de tomar o poder, Sócrates usa a liberdade de expressão para a combater. Conseguiu amordaçar o CM através de uma juíza que o seu governo promoveu. Ele tem, felizmente, liberdade de expressão para combater a dos outros.



















2 - Continuou em Vila Real o "road show" típico dos investigados pela Justiça que usam os media para a pressionar e manter a sua importância política e pessoal. Neste segundo comício televisionado, fugiu-lhe a boca para a verdade: "Vim aqui falar de mim."  



















3 - O apontamento ‘Melancómico’, que Nuno Costa Santos faz e protagoniza, passou do Q para a RTP3. É mais melancólico do que cómico. Faz a autodepreciação, como Ricardo Araújo Pereira, mas RAP só há um. Portugal tem azar com o humor. Pelo menos na TV.



















4 - ‘The Voice’ regressa à RTP em 2016, mas não à BBC. Esta perdeu o programa para a concorrente comercial, a ITV. O programa é apresentado como "serviço público" só por passar num canal do Estado. A demagógica ideologia de serviço público é mesmo assim.




















5 - Sem palhaçadas da bola nem entrevistas pessoalistas, O ‘Jornal das 8’ de domingo voltou a liderar. Pode ser que a TVI aprenda que pode liderar fazendo mesmo jornalismo. Já a "gala" e a "expulsão" da tele-estrebaria ‘A Quinta’ voltaram a perder audiência.



















6 - O canal de informação da TVI apresenta agora por norma o noticiário do canal principal em simultâneo: empobrece a oferta entre as 20h e as 22h, para reduzir despesa. A RTP3, pelo contrário, apresenta teledocumentários às 20h, enriquecendo a oferta.



















SERVOS A ‘SÁBADO’
inquiriu todos os deputados sobre a censura ao CM: aterrador. A maioria absoluta (158) não respondeu, 58 responderam recusando responder, houve seis a favor da censura e só oito contra. António Barreto tem razão: "O parlamento não existe." Para quê 230 deputados, se obedecem cegamente às direcções partidárias e têm medo de existir como indivíduos autónomos?

NOITE Entre as motivações do PS de Costa para tomar o poder estão a domesticação da Justiça e dos media. Foi assim no tempo de Sócrates, para que pudesse tratar de negócios à vontade pelo máximo tempo possível. Sócrates teve a protecção da cúpula da Justiça e de vários media, em especial dos que domou a chicote. Os tempos que se aproximam não serão fáceis para a justiça e a liberdade de expressão.



opinião Eduardo Cintra Torres
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)