Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Eduardo Dâmaso

Pagar a impunidade

Sejamos claros: é decisivo salvar a Caixa Geral de Depósitos e mantê-la pública.

Eduardo Dâmaso(eduardodamaso@sabado.cofina.pt) 25 de Agosto de 2016 às 01:46
Sejamos claros: é decisivo salvar a Caixa Geral de Depósitos (CGD) e mantê-la pública. Mas não a qualquer preço, que é basicamente o que o ministro das Finanças, Mário Centeno, gostaria.

Ontem, teve o desplante de justificar o buraco da CGD, que vai implicar uma recapitalização de 5160 milhões de euros, com a crise financeira internacional.

Passou como cão por vinha vindimada pelos escândalos dos muitos mil milhões de empréstimos dados a amigalhaços do Bloco Central dos Interesses sem qualquer espécie de garantias.

A CGD foi a vaca leiteira desses donos do regime, instalados no PS, PSD e CDS. E Centeno quer que paguemos a impunidade.
Caixa Geral de Depósitos CGD Mário Centeno PS PSD CDS banca
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)