Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Eduardo Dâmaso

Armas na mão

O que se passa no porto é um ataque inaceitável ao estado de direito.

Eduardo Dâmaso(eduardodamaso@sabado.cofina.pt) 13 de Maio de 2022 às 00:31
Quando um conjunto de bandidos ocupa as ruas de armas na mão e dispara contra as casas de cidadãos o Estado de Direito tem um problema. Que é o mesmo quando uma pessoa é espancada e assassinada à facada em plena via pública. Que não é diferente quando os bombeiros não conseguem entrar num bairro em missão de socorro. Ou quando um milímetro que seja do espaço público é barrado a alguém, ou mesmo às forças policiais. O que se tem passado no Porto nos últimos dias é um ataque insustentável ao Estado de Direito e ao exercício da soberania do dito Estado sobre todo o território, não apenas sobre o mais elementar nível de manutenção da ordem pública. A poucas horas de mais uma festa do título do FC Porto, espera-se que as forças policiais e o Governo, demasiado parado numa matéria tão sensível, saibam assumir as suas responsabilidades e garantir, desde logo, que os jornalistas podem trabalhar amanhã em sossego e segurança nas ruas do Porto. Espera-se que saibam garantir um dia festivo e que não sejam testemunhas passivas de uma tragédia, como a da ‘Noite Branca’ de má memória. Desde logo, honrando os justos campeões e o seu treinador.



Noite Porto Governo Estado FC Porto
Ver comentários
}