Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
8
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernando Medina

(Mais) um passo na direção certa

É uma ilusão pensar que os problemas de fundo da zona euro estão resolvidos, como se vê pelo crescimento dos populismos na Europa.

Fernando Medina 24 de Maio de 2017 às 00:30
A saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo, situação em que nos encontrávamos há oito anos, é mais uma boa notícia para o país. Em primeiro lugar, porque é o reconhecimento europeu daquilo que já sabíamos pelos dados oficiais do INE: a trajetória de consolidação orçamental é sólida, assenta numa redução estrutural, e não pontual, do défice. Tal como é sólida a redução do desemprego e o crescimento da economia.

Em segundo lugar é uma boa notícia pelo que representa em termos de mudança no ambiente económico em que Portugal opera. Vai permitir um ganho de credibilidade do país junto dos investidores internacionais, ao mesmo tempo que traz consigo, com condicionantes próprias, uma maior flexibilidade ao nível do investimento público ou de despesas relacionadas com reformas estruturais.

Investimento público e reformas realmente estruturais têm sido, de resto, dimensões que têm faltado à nossa economia nos anos mais recentes. É por isso importante que na comunicação que fez ao país, o primeiro-ministro tenha colocado o dedo nas feridas económicas e sociais do ajustamento em vez de optar por um discurso de autossatisfação.

António Costa falou-nos da necessidade de dar corpo a apostas estratégicas na modernização do Estado e na qualificação das pessoas e das empresas, e não esqueceu os jovens que emigraram e aqueles (e são muitos) que continuam à procura de oportunidades de emprego. Não basta crescer de qualquer maneira. É bom que esse crescimento seja partilhado por todos.

Para isso vamos ter de fazer muito bem o nosso trabalho de casa, e vamos ter de contar com mudanças de fundo na arquitetura da zona euro, que garantam um maior equilíbrio entre as economias do norte e as economias do sul da Europa. É uma ilusão pensar que os problemas de fundo da zona euro estão resolvidos, como se vê pelo crescimento dos populismos por essa Europa fora.

É certo que vamos ter de esperar pelas eleições na Alemanha e que não vai ser um debate fácil pois, como em tudo na vida, há quem perca mas também há quem ganhe com a atual situação. Mas uma coisa é certa: se não é condição suficiente, a saída do Procedimento por Défice Excessivo é pelo menos condição necessária a que Portugal se possa bater melhor por essas mudanças que se impõem na Europa.

Festas da cidade   
Junho está quase a chegar e com o mês das sardinhas chegam as Festas de Lisboa. Foi ontem apresentada a programação de um mês preenchido, com mais de 100 espetáculos de música, teatro, dança e exposições. Uma edição das Festas que conjuga o lado popular de uma cidade orgulhosa dos seus bairros e tradições, como os tronos de Santo António, com o toque e a sonoridade latina no ano em que Lisboa é a Capital Ibero-Americana da Cultura.

O início das Festas coincide com o Dia da Criança e as festividades começam com um concerto, na Praça do Município, da Orquestra Geração. 2017 é também o primeiro ano em que as festas têm uma programação infantil. Também a 3 de junho, mas na Praça do Comércio, a Orquestra Gulbenkian desce à rua para tocar o belíssimo concerto de Aranjuez. O encerramento das festividades acontece com um grande espetáculo, ‘Baila Comigo’, com o alinhamento musical a contar com nomes como os Gipsy Kings.

Os espetáculos são gratuitos e o orçamento é suportado pelos patrocinadores. As Festas são, verdadeiramente, populares! 

Manchester vive noite de terror    
O atentado na noite de segunda-feira em Manchester, Inglaterra, não pode deixar de nos interpelar. Podia ser qualquer um de nós. A cobardia terrorista não respeita nem geografias nem gerações. Aqui deixo a minha solidariedade para com a cidade de Manchester, que sempre nos habituámos a admirar e que tanto se tem destacado. Seja no futebol, na música ou na tolerância.

ELEVADOR DA GLÓRIA
Investimento Direto Estrangeiro

Segundo dados divulgados pelo Inquérito à Atratividade de Portugal 2017, realizado pela EY, Portugal conseguiu captar o maior valor de investimento direto estrangeiro dos últimos 20 anos. Estes dados são mais um bom indicador e a prova de que Portugal é hoje sinónimo de confiança. 

Sporting Clube de Portugal
Nem só de seniores masculinos vive o futebol. O futebol feminino está a ganhar cada vez mais praticantes e adeptos. Nomeadamente em Lisboa. E o Sporting é um exemplo disso, tendo-se sagrado este fim de semana Campeão Nacional. Foi no Porto, com uma goleada ao Boavista de 6-1. 

Arte Urbana em Marvila
Depois de Carnide, o Festival de Arte Urbana chega este ano a Marvila. De 25 a 28 de maio, são quatro dias para ver e criar arte urbana em quatro prédios da zona oriental da cidade. Sexta haverá concerto e sábado de manhã visita guiada. A arte urbana é já uma das grandes marcas de Lisboa.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)