Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernando Sobral

Os loucos do futuro já aí estão

São loucos sem dúvidas, crentes de que só há uma verdade e uma forma de a conseguir.

Fernando Sobral 9 de Janeiro de 2015 às 00:30

Os fanáticos sanguinários que, com frieza militar, cobriram de sangue a redação do ‘Charlie Hebdo’ não estavam nervosos e inseguros. São loucos sem dúvidas, crentes de que só há uma verdade e uma forma de a conseguir: eliminando quem pensa de forma diferente, quem ousa questionar o mundo. Os fanáticos acreditam que, dessa forma, também lançam fogo às ideias. Por isso defendem a "solução final".

Bin Laden disse há anos o que nos separava: "Temos milhares de jovens que desejam morrer. Vocês têm milhares de jovens que querem viver." A fronteira que nos separa está aqui. Ou ali, na redação de uma revista francesa que louvava o humor: a liberdade quer viver, a ditadura defende a morte. Os loucos do futuro chegaram. Criando a sua liberdade, roubando a dos outros.

Não é só a liberdade de imprensa que está em jogo. É a Liberdade. A luta pela ética, pela paz, pela democracia, não é vã. Contra os fanáticos. Contra quem defende outra Idade das Trevas, esse mundo onde a inteligência e a liberdade são valores dispensáveis. Mas não são. Não podem ser.

Charlie Hebdo Bin Laden fronteira Idade das Trevas questões sociais política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)