Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernando Sobral

Voltará o grande guardião?

Casillas vai fazer com que a Liga seja seguida globalmente.

Fernando Sobral 18 de Julho de 2015 às 00:30
Houve uma época em que Iker Casillas era como Super-Homem: voava. Depois, um dia, chegou a kryptonite: o guarda-redes inultrapassável tornou-se gelatina. José Mourinho viu isso e transferiu-o para o banco do Real Madrid.

Mas, mesmo fora da baliza do seu clube de sempre, Casillas continuou a ser um ídolo fora dos relvados, o detentor do lugar na seleção espanhola e um dos mestres do balneário dos merengues. Claro que lutava contra o destino: Florentino Pérez quer ‘galácticos’ que vendam camisolas e não jogadores que têm o clube no coração. E Mourinho, claro, não é como Carlo Ancelotti: não espera que os jogadores façam uma tribo que decide quem são os chefes que jogam. Mas, desde Mourinho, Casillas tinha os seus dias contados em Madrid.

Mesmo sendo um ídolo para os fãs, mesmo que nos últimos anos fosse já uma sombra do guarda-redes que ganhava pontos e sossegava os seus defesas-centrais. Casillas perdeu a confiança e, entre tudo aquilo que sabe defender, passou a mostrar que cometia erros. A lenda passou a ser posta em causa apesar de nunca ter perdido o talento inato, como ia mostrando na seleção. Bastava ver, nos últimos jogos, que os defesas o rodeavam, defendendo-o de qualquer erro. Mas isso não implica que Casillas deixasse de ser um símbolo.

A sua contratação pelo FC Porto é um prodigioso exercício de marketing. Faz com que os holofotes se virem para a Liga portuguesa, capaz de atrair um guarda-redes como ele. Sabe-se que a Liga portuguesa é muito importante dentro de portas mas que, lá fora, é vista como um campeonato periférico. Isto apesar de muitos grandes jogadores portugueses continuarem a ser chamados para os maiores emblemas europeus. De treinadores portugueses estarem em alguns dos maiores clubes do continente. De no Mundial do Brasil terem estado três selecionadores portugueses. De Jorge Mendes ser o mágico das transferências. Falta que a Liga portuguesa tenha jogadores de referência global. E Casillas é-o. A Espanha vai começar a olhar para a nossa Liga. Outros países também. Por causa de Casillas. E isso vai valorizar o FC Porto e o futebol português. Defender tudo será, então, algo menos importante. Mas resta a dúvida: voltará o grande guarda-redes?
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)