Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Francisco José Viegas

Blog

Não é pelo facto de as batalhas serem perdidas que deixam de ser justas ou de ter a razão do seu lado.

Francisco José Viegas 24 de Março de 2015 às 00:30

Todos sabemos que a democracia exige transparência, mas os meios de que o Estado dispõe para vigiar e escrutinar os cidadãos colocam em causa uma das grandes conquistas da idade moderna: o direito à vida privada e ao respeito pelos dados pessoais. O cartão único, o direito que o Estado se arroga de aceder a todos os nossos dados pessoais, os sistemas de vigilância, até a Via Verde e a inversão do ónus da prova podem garantir segurança, justiça e facilidade em controlar eventuais ameaças ao bem comum; mas a batalha pelos direitos individuais perdeu-se e não é uma causa popular.

Diz-se que quem não deve não teme. Mas esse sistema transformou-nos a todos em suspeitos. O futuro dirá se a democracia merece essa suspeita.

Citação do dia

"Foi tudo uma catástrofe. Mas Ricardo Salgado é um culpado demasiado conveniente."

Luciano Amaral, ontem, no CM


Sugestão do dia

Um assunto impopular: é o tema de ‘O Meu Deus é um Deus Ferido’, de Tomáš Halík (Paulinas), o autor de ‘Paciência com Deus’. Mesmo para não católicos, há aqui motivos de reflexão. Deus é sempre o Outro.

Ver comentários