Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Francisco José Viegas

Blog

O Acordo Ortográfico de 1990, que entrou em vigor a 1 de janeiro de 2012 foi estabelecido sobre terra queimada.

Francisco José Viegas 9 de Fevereiro de 2017 às 00:30
O Acordo Ortográfico de 1990, que entrou em vigor a 1 de janeiro de 2012 foi estabelecido sobre terra queimada – a dos tratos de polé a que a língua e a ortografia foram submetidas pela escola, pela imprensa e pelos linguistas, que preferiam a ‘língua oral’ à história da nossa Língua.

O que queriam num país em que o ministério da Educação (antes do AO), pede aos professores para não assinalarem os erros ortográficos dos alunos, porque isso podia ser ‘traumatizante’ e em que a TV pública passa erros ortográficos graves nos rodapés das suas emissões? O que sobra da polémica são hoje meia dúzia de consoantes mudas e alguns acentos que deviam regressar.

No entanto, muitos dos que defendem a ‘diversidade’ do português (que nunca foi posta em causa) escandalizam-se, à maneira dos velhos proprietários da língua, quando os seus escritos são ‘traduzidos’ no Brasil – "que horror".

Tudo isto com a ajuda da Academia das Ciências que, depois de duas décadas de silêncio, preguiça e salamaleques, apareceu a propor correções que deviam ter sido apresentadas até 2015. Voltem para dentro.
Acordo Ortográfico ministério da Educação Brasil Academia das Ciências idioma
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)