Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
6
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Helena Garrido

O milagre das contas

Um mês e meio depois o Governo promete cortar mais o défice público.

Helena Garrido 22 de Janeiro de 2016 às 00:30
O Governo vai enviar hoje as linhas gerais do Orçamento para o Parlamento e Comissão Europeia. O défice das contas para este ano será de 2,6% do PIB, menos do que os 2,8% perspectivados no programa de Governo. Como é que António Costa vai conseguir fazer isso? As explicações detalhadas estão prometidas para hoje. Tal como noutras frentes da vida do Estado, a falta de dinheiro parece ter deixado de ser um problema. Neste momento está prometido reduzir a carga fiscal, aumentar o salário da função pública, gastar mais dinheiro em horas extraordinárias, actualizar pensões, cortar no IVA da restauração, desfazer concessões e ainda assim reduzir o défice público. Não se assume o compromisso de respeitar exactamente aquilo que Bruxelas exige, mas esse é um problema a resolver mais tarde.

A proposta de contas públicas para 2016 vai merecer do FMI e da Comissão Europeia uma atenção muito especial. Estão enganados os que consideram que é possível enganar como no passado os burocratas de Bruxelas. A diferença é que antes da troika não se importavam de ser enganados. Agora têm dinheiro em Portugal. A Zona Euro pode querer deixar-se enganar. Mas o FMI não parece disposto a isso.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)