Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

J. Rentes de Carvalho

Trafulha, sorna, mandrião

É muito o que me apetecia desancar, pôr a nu a desfaçatez, a pulhice.

J. Rentes de Carvalho 2 de Setembro de 2016 às 00:30
Astuto, trabalhador incansável, nascido em família que há gerações, e muito bem, vive do comércio, o meu amigo diz do povo o que Mafoma não disse do toucinho, e aumenta a dose. O povo é mandrião, trafulha, ignaro, sorna, medroso, cobarde, vive para comer e fornicar, não tem espinha dorsal.

Horrores de Estaline, torturas de Mao, bairros de lata, fome e miséria, o povo merece tudo isso e mais. Culpa sua.
Com menos paixão nos argumentos, também eu tenho os meus cavalos de batalha, mas como me esforço por avaliar prós e contras, tornei-me incapaz de arrebatamentos, raro vou mais além do que franzir as sobrancelhas.

Não me agradaria que pudessem fazer de mim um retrato como o que pinto do meu amigo, mas tenho-lhe inveja, pois é muito o que me apeteceria desancar, pôr a nu a desfaçatez, a pulhice, o desdém pelo semelhante, a arrogância dos que se crêem com poder, os que julgam ter recebido do Alto, e em exclusivo, o que aos mais é negado.

Infelizmente, para minha frustração fico-me pelas palavras, que aliás ninguém ouve, porque as guardo para mim.

O que é natural, pois também sou do povo.
Estaline Mafoma Mao interesse humano
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)