Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Joana Amaral Dias

Ceifeira

A Autoridade Tributária e Aduaneira é agora uma máquina coerciva ao serviço de privados

Joana Amaral Dias 6 de Setembro de 2014 às 00:30

Todos nós temos sido cilindrados pela carga fiscal que o governo nos impôs a título do controlo de uma dívida e de um défice que não param de aumentar. Mas o fisco transformou-se também num estrangulador da democracia. Por exemplo, como é que os monopolistas grupo Mello e Mota-Engil conseguiram colocar as finanças a cobrar multas de 500 e 1000% (será isto sequer legal?) sobre portagens não pagas? E logo à primeira falha. Aliás, o presidente do sindicato dos trabalhadores dos Impostos avisou que a Autoridade Tributária e Aduaneira é agora uma máquina coerciva ao serviço de privados. E a baixo custo.

Mas não é apenas uma máquina coerciva. É mesmo debulhadora. Uma ceifeira de cidadãos, famílias e empresas. Afinal, as finanças vão também cobrar coercivamente as taxas moderadoras e títulos em dívida nos transportes públicos. Como se não bastasse, os bancos vão enviar ao fisco todos os gastos em restaurantes, prontos a vestir e hotéis pagos com cartões e independentemente do seu valor. É isto que combate a evasão fiscal? Sério? Ainda andam a brincar aos pobrezinhos?

pensaalto@gmail.com

Mota-Engil Autoridade Tributária e Aduaneira política
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)