Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
7

João Aranha

Uma gala diferente

A corrida que encerrou a excelente temporada do Campo Pequeno teve público e um cartel curioso.

João Aranha 14 de Outubro de 2016 às 00:30

A corrida que encerrou a excelente temporada do Campo Pequeno teve público e um cartel curioso, com muita juventude a cavalo e algumas "despedidas" A empresa aproveitou o evento para homenagear José Lupi com o galardão "prestigio" e conseguiu juntar na arena os "4 jintetes del apoteosis", que apesar dos muitos anos não faltaram e receberam uma grande ovação até de quem nunca os viu atuar.

Não será hora de especular se as corridas reais nos séculos XVII e XVIII eram realmente assim (a matéria ficará para uma próxima abordagem),embora se aceite que os Cortejos, de então e de hoje, sigam o mesmo ritual.

Os seis toiros da divisa Fernandes de Castro (encaste Atanasio), com peso e idade para aquele evento, tiveram comportamento desigual com vantagem para os da segunda parte.

Antonio Telles entendeu as características do que abriu praça, reservado e pouco empregue nos remates, dando-lhe uma lide plena de experiencia e boa colocação da ferragem, a que não faltou verdade e correção.

Antonio Brito Paes lidou o menos voluntario do lote, esteve bem na ferragem comprida e esforçado nos ferros curtos, mas quis rematar com ferro de palmo com muitas saídas em falso porque o toiro se parava e a lide foi a menos.

Marcos Bastinhas alegrou as coisas com uma "porta gaiola" que resultou e seguiu num toureio alegre e vibrante chegando ao público com nota de emoção.

Duarte Pinto teve pela frente o menos voluntario do lote estando-lhe sempre por cima num toureio com arte e sentido toureiro a que não faltou uma boa colocação de ferragem e sortes com alegria e emoção.

Miguel Moura muito seguro e em noite inspirada aproveitou bem a excelente investida do quinto com uma lide de bom toureio, ferros de muita emoção bem rematados e uma brega de classe em noite de triunfo.

Parreirita Cigano, ainda "praticante" terá sido a surpresa para quem não lhe conhecia estilo e maneiras. Aproveitou bem a qualidade do sexto, com um toureio em curto juntando correção e emoção, a merecer aplauso geral, e a prometer êxitos futuros.

 

Não foi grande noite para os forcados, com toiros que costumam complicar, mas Nuno Varanda, à segunda, Manuel Guerreiro, também à segunda, e João Lucas (que se despedia e também à segunda),pelos de Lisboa, tal como Paulo Oliveira, à primeira, e José Marques pelos de Coruche estiveram à altura.

O quarto da ordem, brindado por João Peseiro ao matador "Espartaco", (que descobriu na bancada), só de "comboio" e com muita ajuda!

Lourenço Luzio, acolitado pelo Dr. Moreira da Silva, dirigiu com acerto e de acordo com a especificidade do evento.  

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)