Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

João Pereira Coutinho

Loucuras

Graças a Bruxelas, Escócia recusou o suicídio económico.

João Pereira Coutinho 20 de Setembro de 2014 às 00:30

Na década de 80, uma reforma eleitoral promovida por Mitterand (e destinada a dividir a direita ‘respeitável’) teve um resultado imprevisto: conceder a um pequeno grupelho de extrema-direita, chamado Frente Nacional, luz e palanque para ir subindo nas urnas. Se a Frente Nacional é hoje um vexame para a França, a Mitterand o deve.

Estas loucuras políticas, infelizmente, não se ficam por França. No Reino Unido, Tony Blair entendeu que um parlamento escocês o favorecia politicamente. O que Blair desprezou é que o parlamento era o primeiro passo para a ilusão de uma independência dourada. Uma ilusão que David Cameron, com típica falta de tino, permitiu.

A Escócia, pelos vistos, recusou o suicídio económico. Talvez por entender que o chapéu-de-chuva europeu não estava pronto para a proteger. Eis um caso, raríssimo, em que devemos agradecer a Bruxelas a sanidade que faltou em Londres. Até ver.

Bruxelas Reino Unido França Escócia David Cameron Tony Blair Frente Nacional
Ver comentários