Por João Pereira Coutinho|30.09.16
  • partilhe
  • 10
  • 1
O país está em pânico: António Guterres venceu todas as votações para secretário- -geral da ONU. Mais eis que surge uma búlgara, patrocinada pela pérfida Merkel e pelo pérfido Juncker, que se prepara para roubar o troféu ao nosso António. ‘Não pode ser!’, gritam os portugueses, que sempre tiveram o hábito saloio de confundir feitos individuais com glórias para a pátria. Calma, povo. Eu sei que é simpático ter a ilusão de que se governa o mundo. Mas, aqui entre nós, Guterres nunca iria governar o mundo.

Como qualquer secretário-geral, dependeria sempre dos humores do Conselho de Segurança – Rússia e China de um lado, Estados Unidos, Grã-Bretanha e França do outro. O cargo é simbólico e, como se viu com Ban Ki-moon (na Síria, na Palestina, no Sri Lanka, etc.), largamente ineficaz. Se Guterres vencer, óptimo para ele. Viver em Nova Iorque compensa bem ter que aguentar a ONU.
Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)