Pobres e mal agradecidos

João Pereira Coutinho

Pobres e mal agradecidos

Oferecer livros aos alunos não significa pagar às livrarias.
  • 0
  • 123
Por João Pereira Coutinho|23.12.17
O governo garantiu livros para as crianças do 1º ciclo. A pátria festejou. Mas eis que, em plena quadra natalícia, os directores das escolas vieram avisar que as papelarias e livrarias não foram pagas pelo serviço. Entregaram os livros, sim, e agora estão com a corda no pescoço, algumas em situação de pré-falência.

Existem duas formas de olhar para o caso. A primeira é lamentar mais esta 'cativação' por parte de um governo que usa e abusa do trabalho e da boa fé de terceiros. A segunda é interpretar o gesto à luz do conceito de 'erro de percepção mútua', uma categoria filosófica que define o ano de 2017. Quando o governo disse que ia oferecer os livros, ele não se comprometeu a pagá-los. Fomos nós que, de forma traiçoeira e mesquinha, estabelecemos a relação entre uma coisa e outra.

Eu, se fosse o governo, suspendia a generosidade. Pior do que a pobreza é sermos mal agradecidos.
Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)