Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

João Pereira Coutinho

Albergues espanhóis

Se nomear à margem da lei não serve, então muda-se a lei.

João Pereira Coutinho 20 de Agosto de 2016 às 00:30
O que é preciso para gerir a Caixa? O leitor ingénuo dirá: competência técnica e dedicação exclusiva. O leitor vive num país imaginário. Em Portugal, a receita passa por simpatias ‘pessoais’; salários ilimitados; e um número de administradores perfeitamente comparável à selecção olímpica de futebol que Rui Jorge levou ao Rio de Janeiro.

Perante esta admirável tradição, parece que o BCE chumbou oito administradores não executivos (por acumulação de cargos) e, dos sete executivos, mandou três para Paris com o fino propósito de estudarem alguma coisinha.

Desconhecemos se estes três tencionam fazê-lo com empréstimos de amigos. Mas sabemos que o Governo, com a mesma desvergonha com que nomeou à margem da lei, tenciona agora alterá-la para não estragar o ramalhete. Para quê temer a ‘espanholização’ da nossa banca quando nós já somos especialistas em criar albergues espanhóis?
Portugal Rui Jorge Rio de Janeiro BCE economia negócios e finanças
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)