Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

João Pereira Coutinho

Até tu, 'Brangelina'?

Razão tinha Oscar Wilde: todos gostamos de matar aquilo que amamos.

João Pereira Coutinho 22 de Setembro de 2016 às 01:45
Angelina Jolie e Brad Pitt anunciam o divórcio. As televisões e os jornais relatam o facto como se um meteorito tivesse caído em Manhattan. Como explicar a histeria?

Sim, a fama é o ‘santo graal’ das sociedades mediáticas: quando não perseguimos a fama, perseguimos os famosos com uma devoção religiosa. Mas a trepidação com o fim do ‘Brangelina’ (volta, vivenda Mariani, estás perdoada!) explica-se com um termo alemão: ‘Schadenfreude’. Significa, mais coisa menos coisa, sentir alegria com o infortúnio dos outros.

Esse sentimento, comum ao género humano, é amplificado quando ricos, poderosos ou famosos caem do pedestal e passam pelas mesmas dificuldades que o zé-povinho.

Se a queda vier embalada com rumores de drogas ou infidelidades, melhor ainda: ‘Afinal, estes famosos são tão vagabundos como eu’, pensa o ressentido. O mesmo que seguia o casal e via os filmes. Razão tinha Oscar Wilde: todos gostamos de matar aquilo que amamos.
Angelina Jolie Brad Pitt Oscar Wilde família divórcio
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)