Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

João Pereira Coutinho

Silêncios

A nova filosofia do PS é não ter respostas para nada.

João Pereira Coutinho 24 de Outubro de 2014 às 00:30

Manuel Valls, primeiro-ministro de Hollande, gostaria de remover a palavra ‘socialista’ do nome do partido. Valls assume-se como um ‘pragmático’, ou seja, como alguém que quer arrumar a casa com os espíritos mais ‘moderados’. O PS francês, compreensivelmente, entrou em apoplexia. E o português?

Ainda não há reacções. Aliás, não haver reacção parece ser a nova filosofia da era costista. Depois das chuvas que devoraram Lisboa, o edil foi lesto a declarar ‘não haver solução’ para o caos. E no Parlamento, em plena discussão sobre a dívida pública, foi a vez de Vieira da Silva afirmar que ‘não há respostas simples’ para lidar com a dita, motivo pelo qual não ofereceu nenhuma.

Se a coisa continua neste tom, o PS português ainda acaba por adoptar novo nome. ‘Partido Silencioso’ seria uma hipótese: é mais fiel ao novo espírito do clube e não implica mudança de sigla.

PS Lisboa Parlamento Vieira da Silva Partido Silencioso política Manuel Valls primeiro-ministro Hollande
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)