Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
6
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

José Carlos Martins

Enfermeiros e turnos

Foram publicados no ‘American Journal of Preventive Medicine’ os resultados de um estudo realizado ao longo de 22 anos e abrangeu 74,862 enfermeiros.

José Carlos Martins 19 de Março de 2015 às 00:30

Demonstrou que o trabalho por turnos tem consequências na saúde das enfermeiras e na taxa de mortalidade. Nas que trabalham 5 ou mais anos em regime de turnos, a mortalidade aumenta, designadamente por doença cardiovascular. Condena-as a uma vida menos saudável e à morte pela supressão da produção de melatonina.

Em Portugal, num quadro de aprofundamento da carência de enfermeiros e de desregulamentação dos horários de trabalho, com imposição, em várias instituições, de inúmeros turnos sem folgas e turnos de 12 horas, os enfermeiros estarão hoje mais expostos a contraírem doenças e a morrerem mais cedo.

O Ministério da Saúde é o responsável pelo especial risco a que a maioria dos enfermeiros está sujeita. Mas é também o que mais contribuiu para a degradação das condições de trabalho e que, consequentemente, aumenta a exposição dos enfermeiros ao risco. 

Ver comentários