Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

José Diogo Quintela

Instauração do Climafado

Islâmicos querem que retrocedamos ao séc. XII. Os fanáticos do aquecimento global contentam-se em recuar só até ao séc. XVIII.

José Diogo Quintela 28 de Novembro de 2015 às 00:30
No dia dos atentados de Paris, a vice-primeira- -ministra sueca, Asa Romson, claramente em choque, tuítou: "Os acontecimentos em Paris podem prejudicar a conferência sobre o clima, com mais de 100 chefes de estado confirmados." Quem já teve a agenda baralhada por um massacre de inocentes sabe que é uma grande maçada. Pior só quando um familiar resolve falecer a uma 6ª feira de Verão e o enterro escangalha o fim- -de-semana de praia.

Romson espera que este ataque à nossa civilização não perturbe a realização da cimeira para organizar outro ataque à nossa civilização. Pelos vistos, o mercado dos ataques à civilização em Paris é muito competitivo. Depois dos fanáticos que não apreciam o nosso modo de vida, Paris recebe a visita de outro tipo de fanáticos que não apreciam o nosso modo de vida. Há diferenças, claro: os palermas islâmicos querem que retrocedamos ao séc. XII, enquanto os extremistas do aquecimento global se contentam em recuarmos só até ao séc. XVIII. Uns cortando cabeças, os outros cortando emissões.
Isto porque dizem que o CO2 libertado pelos combustíveis fósseis é a causa do aquecimento global. Apesar de 1/3 das emissões de CO2 desde a Revolução Industrial ter sido feito a partir de 1998 e, mesmo assim, as temperaturas estarem estacionárias há mais de 18 anos.

Mas admitamos que o CO2 é o culpado e que o corte das emissões é aplicado por todos os países da União Europeia. Reduzir as emissões até 2030 e mantê-las assim até 2100 teria um impacto de 0,017° C no aumento de 2° C que está previsto caso não se faça nada. Contextualizando: no montanhismo, por cada 100 metros de escalada, a temperatura desce 1° C. Logo, 0,017° C equivalem a 1,70 m. Ou seja, 0,017° C é a diferença de temperatura entre a minha cabeça e os meus pés. Portanto, se a Europa acabar com energia, transportes e comida baratos, enfim, aquilo que continua a tirar milhões da pobreza, o impacto na temperatura é o equivalente a eu despir as peúgas. Ou agasalhar a cabeça. Confere: é mais uma cimeira para nos enfiar o barrete.

----------
Pegada ecológica no cu dos outros para mim é refresco 
Houve tempos em que os profetas da desgraça fugiam à sua missão. Jonas preferiu esconder-se dentro de uma baleia. Mas Nínive não é Paris. Para alertar os pecadores, 20 mil pessoas mudam-se 11 dias para hotéis de uma das cidades mais caras do mundo, papam em restaurantes chiques aquecidos por potentes ares condicionados, antes de voarem de volta para casa. Resta saber se o objectivo é parar de consumir combustíveis fósseis ou gastá-los todos na cimeira para não haver mais para queimar. 

----------
Presunção e água quente toma quem quer
A Terra tem 4,54 mil milhões de anos, uns mais frios, outros mais quentes, e o Homem anda por cá há 200 mil anos, uns mais secos, outros mais húmidos, mas só há 250 anos, desde a Revolução Industrial, é que o clima é controlado. Aquecimento global? Ainda nem conseguimos inventar um microondas que aqueça globalmente um prato de sopa, em vez de a deixar quente à superfície e fria em baixo, quanto mais aquecer globalmente um planeta inteiro.  

------------
Gordos mandam magros fazer dieta 
Há um cliché que diz que se um rico comer um frango e um pobre não comer nada, estatisticamente ambos terão papado meio frango. Logo agora que os pobres têm dinheiro para frango, os ricos concluem que o comem há tempo de mais e devem fazer dieta. E proíbem o frango para todos

opinião José Diogo Quintela
Ver comentários