Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
8
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

José Rodrigues

Gato escondido...

A declaração da ministra das Finanças admitindo a eventualidade de cortes nas pensões em pagamento embaraçou o Governo, que não se poupa a esforços para contrariá-la, de modo a evitar previsíveis danos eleitorais.

José Rodrigues 1 de Junho de 2015 às 00:30

A declaração da ministra das Finanças admitindo a eventualidade de cortes nas pensões em pagamento embaraçou o Governo, que não se poupa a esforços para contrariá-la, de modo a evitar previsíveis danos eleitorais. Vários responsáveis, incluindo a própria Maria Luís, mobilizaram-se para tentar desfazer o alarme causado, e o primeiro-ministro foi ao extremo de anunciar que o programa eleitoral da coligação "não deverá conter uma solução muito definida" para as pensões.

Ao fazer o extraordinário anúncio, Passos Coelho alegou que a intenção é não comprometer um futuro entendimento com o PS sobre a reforma da Segurança Social, mas é claro que o objetivo é não comprometer a coligação com a admissão da verdade que a ministra das Finanças deixou escapar. Aliás, já antes do ‘deslize’, Maria Luís tinha falado num plano para reduzir em 600 milhões de euros a despesa com as pensões, medida que além do mais está prevista no Programa de Estabilidade apresentado a Bruxelas.

O plano do Governo para as pensões é, pois, um gato escondido com o rabo de fora, o qual só aguarda a hora propícia para se mostrar, por inteiro… 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)