Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Leonardo Ralha

Da miséria à grandeza

É uma história real, e começa da pior forma.

Leonardo Ralha 5 de Fevereiro de 2016 às 00:30
É uma história real, e começa da pior forma. No final de um jogo entre equipas B do FC Porto e Benfica, disputado num estádio inglês, com muitos portugueses a assistir, pessoas que só podem ser descritas em palavras impublicáveis roubaram um menino de sete anos, que se desloca numa cadeira de rodas, devido a graves e notórios problemas de saúde, tirando-lhe a camisola oferecida pelo guarda-redes portista, e o cachecol do clube.

É difícil aceitar que haja gente capaz disto. Tamanha miséria moral contra uma criança doente instala, no limite, dúvida razoável quanto à Humanidade.

Só que, após um desabafo da mãe no Facebook, o ex-futebolista Cândido Costa prontificou-se a ceder a sua última camisola azul e branca. Depois, a equipa B do FC Porto anunciou a oferta de outra, autografada por todos os jogadores. Finalmente, já depois de o Benfica pedir desculpas e condenar os atos de alguns adeptos, a claque portista Super Dragões assegurou viagem, estadia e bilhetes para o miúdo, e os seus pais, verem o jogo contra o Borussia Dortmund, no Estádio do Dragão.

Miséria e grandeza conviveram nesta história real. Talvez um dia seja possível dispensar a primeira.
Facebook Cândido Costa FC Porto Benfica Super Dragões Estádio do Dragão Borussia Dortmund
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)