Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Leonardo Ralha

Um homem das Arábias

Sendo um homem das Arábias, foi homem do Mundo.

Leonardo Ralha 12 de Julho de 2015 às 00:30
A comédia ‘Funny Girl - Uma Rapariga Endiabrada’ foi proibida em muitos países por o protagonista ser egípcio e muçulmano e a protagonista uma judia que apoiava Israel. Em 1968, depois de a Guerra dos Seis Dias acabar em desaire árabe, Omar Sharif a beijar Barbra Streisand era mais grave do que uma branca apresentar Sidney Poitier aos pais em ‘Adivinha quem Veio Jantar’.

Filho de pais sírio-libaneses que lhe chamaram Michel, educado em Inglaterra e convertido ao Islão para casar, Sharif foi apresentado ao grande público em ‘Lawrence da Arábia’ (1962), e impressionou o cineasta David Lean ao ponto de ser o ‘Doutor Jivago’ (1965), trocando a areia pela neve da Rússia.

Do ator que morreu na sexta-feira pode dizer-se que se impôs às fronteiras. Sendo um homem das Arábias, foi homem do Mundo.

No último filme, ‘Rock the Casbah’ (2013), Sharif já vivia na memória de três filhas. Agora vive nas memórias de todos nós.
Ver comentários