Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Magalhães e Silva

Palos e Sócrates

Quando se tem de montar o circo para administrar Justiça, teme-se logo que seja palhaçada

Magalhães e Silva 23 de Novembro de 2014 às 00:30

Só o MP/PJ poderiam ter dado a informação que permitiu o circo mediático à volta da Operação Labirinto. E assim se criou a encenação policial da detenção de altos funcionários. Depois, veio a informação, obviamente da defesa, de que indícios contra o Diretor do SEF eram 2 garrafas de vinho da quinta de um co-arguido e a referência, numa escuta, de que agilizaria processos.

Neste momento, em que já foram obrigatoriamente revelados a Palos os indícios que há contra ele, nada obstava a que a PGR os revelasse. Como assim não foi, fica-nos o terror, repito, o terror, de viver num País em que, sem desmentido, se prende por isto. Com Carlos Alexandre a caucionar.

Uma semana depois, o circo, a cargo das polícias, prossegue: a SIC e a CMTV são avisadas para filmar a detenção de Sócrates! Por mais culpas que tenha, e políticas tem n+1, nada justifica a detenção para interrogatório, como já acontecera a Salgado, de quem estava pronto a depor. É tempo de, em casos tão sérios, Rosário Teixeira, que é um grande magistrado, deixar de brincar aos cowboys. 

PJ Operação Labirinto Diretor do SEF Palos PGR País Carlos Alexandre SIC Salgado Rosário Teixeira
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)