Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Mário Pereira

Jonas mantém a corrente ligada

Benfica é o único dos três grandes que depende de terceiros.

Mário Pereira 5 de Janeiro de 2018 às 00:30
Um pénalti marcado por Jonas no último minuto do tempo regulamentar evitou a derrota do Benfica na Luz, frente ao Sporting, evitando assim um resultado tão mentiroso como aquele que deu o triunfo às águias em Alvalade, há duas épocas.

Foi naquele célebre jogo em que Bryan Ruiz falhou um golo feito que levou as bancadas da equipa da casa ao desespero. Época essa que terminou com as águias a fazer festa no Marquês. Seria um bom prenúncio para os leões, jogar mal, mal mesmo, e ganhar, ainda assim. Seria péssimo para o Benfica, jogar bem e perder o jogo. Nada disso aconteceu. O empate empata ambos, passe a repetição, e quem fica bem na fotografia é o FC Porto, sai isolado desta jornada no comando da classificação.

Temos assim que os dragões são os maiores ganhadores da ronda e os da Luz os maiores perdedores, apesar do ânimo final dado pelo golo de Jonas. Porque a verdade é que, de entre os três concorrentes que lutam pelo título, o Benfica é o único que passa a depender de terceiros (neste caso do FC Porto) para chegar ao título. Vale o que vale, porque o campeonato ainda nem a meio chegou. Mas como se sabe, esta é sempre a retórica preferida de quem está mais atrás.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)