Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Miguel Alexandre Ganhão

Passos, o mago

Passos Coelho vestiu outra vez o manto de vidente para anunciar a chegada dos reis magos em janeiro.

Miguel Alexandre Ganhão(miguelganhao@cmjornal.pt) 17 de Dezembro de 2016 às 00:30
Castigado nas sondagens e no partido pela falsa proclamação da chegada do Demo, Pedro Passos Coelho vestiu outra vez o manto de vidente para anunciar a chegada dos reis magos em janeiro.

Para dizer o óbvio (dia 6 de janeiro é tradicionalmente assinalado como o Dia de Reis) não é preciso ser mago nem adivinho. O que Passos Coelho tem de prever é por quanto mais tempo fica à frente do Partido Social Democrata. Essa, sim, seria uma previsão digna de nota e com impacto nacional. A menos que a ‘boa nova’ anunciada por Gaspar, Belchior e Baltazar seja a decisão de António Costa de se demitir do Governo, provocando eleições antecipadas para garantir uma maioria socialista para os próximos quatro anos.

Sejam quais forem os presentes que os magos possam trazer, Passos sabe que para si as janeiras de 2017 vão soar mais como um ‘requiem’. Ou o líder do PSD já se esqueceu que antes de irem adorar o menino, Gaspar, Belchior e Baltazar se encontraram primeiro com o rei Herodes!

Se é para invocar as figuras do presépio, melhor seria falar do anjo ou da estrela para não ficar conotado com algum dos animais da manjedoura!
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)