Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Octávio Lopes

O vídeo-árbitro que venha depressa

Árbitros não podem continuar a ter o poder de decidir jogos.

Octávio Lopes 17 de Dezembro de 2016 às 00:30
Em jogos intensos, disputados palmo a palmo, os pormenores contam. E de que maneira. Pormenores relacionados com a prestação individual dos jogadores. Um falhanço pode valer um título. Alguns milhões de euros pela passagem a uma fase seguinte nas provas da UEFA.

Mas no futebol há outros intérpretes que também são capazes de ajudar a ganhar ou a perder campeonatos: os árbitros. No caso dos jogadores, só em clubes de dimensão reduzida se tem falado em falhanços propositados com vista a obter este ou aquele benefício. No tocante aos árbitros, ai de quem ponha em causa a sua honestidade. Falham porque falham e ponto final. Quando falham sempre para os mesmos lados, é pura coincidência. Mesmo que não assinalem penáltis mais do que evidentes. Falharam, paciência.

Foi o que se passou no último dérbi, em que o Benfica venceu o Sporting, por 2-1. Resultado apertado, que bem poderia ter sido outro se Jorge Sousa tivesse assinalado dois penáltis contra as águias e se Bas Dost não acertasse uma bola no poste. A fraca pontaria de Bas Dost é... futebol. E Jorge Sousa pode não ter visto os lances em que Piz zi toca na bola com o braço esquerdo e com a mão direita e Nélson Semedo estica o braço direito para cortar uma bola.

Contudo, se tivesse ajuda extra, a decisão poderia ter sido outra. Cristiano Ronaldo apontou o golo 500 em todos os clubes por onde passou num lance validado, e bem, pelo vídeo-árbitro. Que chegue depressa a Portugal. Ajudaria a acabar com as suspeições e com os poderes instalados.

Do oito ao oitenta ou nem tanto

O FC Porto começou a época com fracas exibições e a ser prejudicado pelos árbitros. Alguns jogos depois, a equipa desatou a ganhar. Melhoraram as exibições ou os senhores do apito? As exibições têm sido um pouco mais convincentes, mas os árbitros passaram a errar muito menos.

Líder em queda?

A vitória diante do Sporting não alterou a sensação de que o Benfica está em queda a nível exibicional, sobretudo diante de equipas fortes. Foi assim com os leões (não mereceu ganhar), FC Porto (não mereceu empatar) e Nápoles.

Invenções a mais

Frente ao Légia, Gelson passou uma hora a apanhar bonés. O Sporting perdeu. Diante do Benfica, Bas Dost foi retirado do campo, para espanto geral, incluindo do próprio. O Sporting perdeu. São invenções a mais de Jorge Jesus.

Benfica Sporting Jorge Sousa Bas Dost Cristiano Ronaldo FC Porto desporto futebol
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)