Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Octávio Ribeiro

"Falta cumprir-se Portugal!"

Marcelo venceu por estar semanalmente na casa das pessoas.

Octávio Ribeiro(octavioribeiro@cmjornal.pt) 25 de Janeiro de 2016 às 00:32
A televisão transformou em alto risco o princípio democrático ‘um homem, um voto’. Marcelo venceu quando avançou e todos da direita travaram perante este bulldozer da comunicação.

Marcelo venceu por estar semanalmente na casa das pessoas. Marcelo é para o português médio mais próximo do que muitos familiares distantes. Em Marcelo, os portugueses votaram num parente culto e afável.

Marisa Matias tem a melhor imagem de todos os candidatos. Olhos profundos, queixo decidido, voz grave. Domina o discurso com frases curtas (há, aliás, uma excelente escola no Bloco. Entre as mulheres) e ideias claras.

Por fim Tino de Rans, um instantista que o País conhece desde o abraço a Guterres e de programas pimba, com grande audiência, na TVI. Tino fez baixar a percentagem de brancos e nulos e prova a possibilidade de um dia um Trump qualquer ganhar eleições em Portugal.

Com um repetido gesto assertivo na mão direita, Marcelo começou o discurso de vitória em Zeca Afonso e terminou em Pessoa. Nos próximos cinco anos, veremos como irá fazer cumprir-se Portugal.
Marcelo Rebelo de Sousa Marisa Matias Tino de Rans Guterres Trump Zeca Afonso eleições presidenciais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)