Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Paulo Fonte

Enredado no discurso

O líder do principal partido da oposição emaranhou-se num discurso catastrofista do qual é difícil aparecer à tona sem perder a face.

Paulo Fonte(paulofonte@cmjornal.pt) 25 de Maio de 2017 às 00:30
O líder do principal partido da oposição emaranhou-se num discurso catastrofista do qual é difícil aparecer à tona sem perder a face. O tom pessimista e o ‘Diabo à solta’ que, afinal, escolheu outras paragens, baralharam Passos Coelho, incapaz de dar a volta à retórica. Acabou por desembocar numa rua sem saída, sem arte nem golpe de asa para dar a volta à situação. Faltam argumentos até para consumo no interior do seu partido.

O crescimento económico pelo qual o PSD tanto batalhou acaba por ser o responsável pelo seu naufrágio. Incapaz de perceber que a situação só poderia melhorar depois de penosos anos a fio – pior era impossível -, os sociais-democratas ficaram reféns dos seus argumentos.

Se procurarmos uma comparação, aconteceu tal como os clubes de futebol que passam a época a vociferar contra as arbitragens e, depois, ficam sem fundamentos quando mudam a equipa técnica, afinal com suficientes culpas no cartório.

Os tempos não estão mesmo fáceis para os ‘laranjas’ e tudo de bom que aconteça ao País significa, em sentido contrário, um resultado negativo para Passos Coelho, mesmo que chame para si as bases da recuperação económica de Portugal.
Diabo País PSD Passos Coelho Portugal política
Ver comentários