Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Paulo Fonte

Só pode ser uma calúnia

"Conseguimos infligir um dano de 30 milhões de euros na companhia", foi dito com sobranceria, sem qualquer pudor ou vergonha.

Paulo Fonte(paulofonte@cmjornal.pt) 14 de Maio de 2015 às 00:30

"Conseguimos infligir um dano de 30 milhões de euros na companhia", foi dito com sobranceria, sem qualquer pudor ou vergonha. A frase poderia ser ouvida numa sala de tribunal, confessada por um criminoso em busca de reconhecimento. Ou afirmada durante uma reunião secreta de gangsters.

Também era plausível circular na web mais profunda, escrita por um hacker orgulhoso dos seus dotes para o delito. Ou, ainda, constar de um memorando secreto de uma qualquer empresa em conflito pelo poder com uma rival. Até se compreendia num contexto de conflito entre países, agora mais interessados numa guerra limpa, sem baixas humanas, mas apostados na delapidação dos pontos-chave da economia.

As hipóteses são diversas, mas passam sempre por um contexto de criminalidade.

Se alguém ousar defender que a frase pertence a Hélder Santinhos, presidente do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil, expressa durante uma conferência de imprensa de balanço da greve da TAP, só posso dizer que isso é impossível.

E mais. Quem lançou essa calúnia é, no mínimo, um mentiroso a necessitar de urgente ajuda médica.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)