Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Paulo Morais

Desemprego é crime?

Para receberem o subsídio a que têm todo o direito, os 740 mil desempregados registados em Portugal passam autênticas provações.

Paulo Morais 17 de Janeiro de 2015 às 00:30

Estas são infligidas pelo Instituto de Emprego, cuja missão seria apoiá-los, canalizando-os para uma nova função compatível com as suas competências profissionais. Mas o IEFP entretém-se a humilhá-los e tratá-los como se fossem malandros que não querem trabalhar.

Desde logo, os beneficiários do subsídio têm de atestar a permanência na sua morada oficial, como se fossem arguidos obrigados a termo de identidade e residência. Esta condição é atestada pelas juntas de freguesia, a que os desempregados acorrem num calvário burocrático, cansativo e inútil.

Além do mais, os desempregados estão ainda obrigados à "procura ativa de emprego", devendo demonstrar que envidam esforços para conseguir emprego, missão que deveria ser responsabilidade do IEFP. Como não há criação de postos de trabalho, os cidadãos vítimas de desemprego limitam-se a ir às empresas implorar que estas atestem a sua candidatura a um lugar para o qual não têm apetência ou que nem sequer existe. Obtido o documento, segue o papel para o IEFP. Assim, finge-se a procura de emprego, as empresas fingem entrevistá-los e o IEFP finge que fiscaliza.

Com este tipo de práticas, o IEFP falha completamente a sua missão. Não sabe lidar com o problema do desemprego, apenas sabe perseguir pessoas. O IEFP, bem como este sistema de gestão do desemprego, faliu. Urge encontrar um novo modelo. Que poderá eventualmente passar pelos sindicatos, à semelhança doutros países. Poderiam ser estes a pagar o subsídio de desemprego, desde que recebessem as comparticipações respetivas dos trabalhadores. Estes passariam a ser maioritariamente associados, renovando-se o movimento sindical, hoje reduzido a menos de quinze por cento da força laboral. Neste novo sistema, os sindicatos deixariam de defender apenas os direitos dos empregados e passariam também a pugnar pelo direito ao emprego de todos os ativos. Finalmente, em cada setor, elevadas taxas de empregabilidade garantiriam maior força aos sindicatos, a sua sustentabilidade económica e a sua independência.

Perguntas&Soluções: Ensino Superior e ‘net’ nos comboios

Em que diferem o Ensino Superior universitário e politécnico?
No essencial, em nada. Os requisitos para os alunos à entrada são os mesmos; as habilitações à saída também. Os docentes de ambos os sistemas devem ser todos doutorados. As licenciaturas são equivalentes. Politécnico e universitário: nomes distintos, a mesma realidade. Uniformizem-se as designações.

Os comboios Intercidades têm Internet grátis?
Não, à exceção dos da Beira Baixa. Não se entende porquê. A CP prometeu instalar serviço de Internet wi-fi nas carruagens Corail, afetas aos Intercidades, equipando 56 veículos. Na linha Porto-Lisboa seria ainda em 2014. Mas 2014 já lá vai e Net, nem vê-la. Nos Comboios de Portugal... até a Net chega atrasada.

 

Telegrama: Corrupção em Moçambique
O novo Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, prometeu, no discurso de posse, que não será condescendente com corrupção. "Tomaremos sem condescendência medidas de responsabilização contra a má conduta e atos de corrupção, favoritismo, nepotismo e clientelismo praticados por funcionários ou agentes do Estado. Ninguém está acima da lei", disse.

O princípio da luz

Opaco
Sérgio Monteiro O Secretário de Estado adquiriu para o Estado um contrato de financiamento do TGV, que tinha montado enquanto gestor privado. Nos swaps e PPP são sempre os mesmos. Ora do lado do Estado, ora do lado da banca.

Tranlúcido
António Ramalho O presidente da Estradas de Portugal diz que pórticos nas ex-SCUT são um erro. "Não é bom que continue assim. Isto do ponto de vista de marketing da via é destrutivo." Só não disse quando vai acabar com eles.

Transparente
Antero Braga O livreiro fez da livraria Lello uma das mais premiadas do mundo e ponto de passagem obrigatório. Esta semana foi premiada pela revista ‘Travel & Leisure’, que a colocou na lista das 15 livrarias mundiais mais "cool".

desemprego crime subsídio desempregados portugal provações
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)