Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Raul Vaz

Um país cativado

As cativações são dinheiro para assegurar algumas funções do Estado.

Raul Vaz 7 de Julho de 2017 às 00:30
O tema das cativações – o dinheiro orçamentado para cada Ministério e que acaba por ser congelado – regressou em força. Há uns meses, era assunto apenas de PSD e CDS, vexados por um Governo da geringonça ter conseguido um défice tão baixo quando, ao mesmo tempo, devolvia rendimentos aos portugueses. Agora está de volta e não se restringe ao Parlamento.

Precisámos de dois escândalos sucessivos – o incêndio de Pedrógão e o roubo a Tancos - para nos lembrarmos de que estas cativações, estas poupanças, são dinheiro para assegurar algumas funções do Estado, mas que fica guardado para baixar o défice e agradar a Bruxelas. Este raciocínio é, em larguíssima medida, simplista. Pela simples razão de que não é possível afirmar com certeza inabalável que estes casos se deram por falta de dinheiro.

Houve falta de muita coisa, certamente, começando pela organização e pelo rigor, mas o dinheiro não terá sido a mais importante. Não devíamos precisar destes acontecimentos para olhar para o tema.

O dinheiro é curto para distribuir benesses pelo eleitorado, servir bem os cidadãos e consolidar as contas públicas. Não há almoços grátis e já devíamos saber isso.
Raul Vaz opinião
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)