Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
6
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Ricardo Rio

Obsessões

A administração local cumpriu o seu papel nos anos de ajustamento.

Ricardo Rio 21 de Abril de 2016 às 00:32
Por estes dias, a generalidade dos Municípios Portugueses procede à apresentação pública dos Documentos de Prestação de Contas relativos ao exercício de 2015.

À margem dos investimentos efetuados, das políticas concretizadas e das medidas e iniciativas implementadas em prol das diferentes populações, sobressai o destaque que uma maioria considerável dos Executivos Municipais tem atribuído aos dados relativos à redução da dívida das Autarquias Locais.

Em Braga, entre 2013 e 2015, a CMB reduziu em 20,6 milhões de euros o volume da sua dívida total. Só no ano passado, a dívida desceu cerca de 17 por cento, num montante global de 10,5 milhões de euros.

A nível nacional, a Administração Local cumpriu o seu papel nos anos de ajustamento e foi bem mais eficaz do que as administrações públicas centrais: o endividamento total reduziu-se em 2345 milhões de euros entre 2011 e 2015; o prazo médio de pagamentos dos municípios desceu de 119 para 65 dias (16 em Braga); nos anos de 2012 a 2015, os municípios registaram excedentes orçamentais superiores a 5% da receita anual; em 2015, a Administração Local teve um saldo excedentário em 738,7 milhões de euros.

Depois do obreirismo, o rigor. Pelo futuro.
Municípios Portugueses Autarquias Locais economia negócios e finanças política economia (geral)
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)