Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Ricardo Rio

Portugal.eu

Nós somos assim, pode ser à última mas acabamos por nos desenrascar.

Ricardo Rio 14 de Julho de 2016 às 01:45
A História do fado português repete-se sequencialmente de forma quase indistinta, independentemente do tempo ou lugar, da área e dos protagonistas.

Parece claro que havia outros melhores do que estes para o lugar. Não é que estes sejam maus, mas, se compararmos com os anteriores, eram muito melhores.

Já não se esperava grande coisa, mas isto também é exagero. Este tipo não manda nada e não há quem os meta nos eixos. E olha o outro, como é costume, com a mania que é a estrela da companhia.

Vá lá que nos safámos, sem sabermos bem como. Já esta foi graças à Senhora de Fátima, à Senhora do Sameiro e ao Cristo Rei.
Nós somos assim, pode ser à última mas acabamos por nos desenrascar. E ouçam bem o que vos digo: estes tipos têm muito potencial, em especial o do meu bairro.

Que categoria! Isto de se ter o melhor do mundo é outra coisa. E já ninguém nos pára.

Até os comemos. Mas isto está tudo feito para nos deitarem abaixo. Sim, estamos a chorar mas é de raiva. Como é que isto pôde acontecer sem que ninguém fizesse nada?

Vamos lá! Vai ser agora! Conseguimos, conseguimos! Que líder. Que senhor!

Sim, estou a chorar outra vez. E quê? Hoje é feriado, C@%&$#
História Fátima Sameiro Cristo Rei Portugal
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)