Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Sérgio Pereira Cardoso

O problema da humidade

"Tenho muita humidade. A respeito da casa, é só humidade, muita humidade. Era preciso uma tinta que não desse para ter tanta humidade.”

Sérgio Pereira Cardoso 12 de Junho de 2016 às 00:30

Se não reconhece, este é um excerto da entrevista que tornou Dona Laura uma celebridade da internet. A razão? A humidade. Ou melhor, a quantidade incrível de vezes que diz a palavra num espaço de 30 segundos.

Dona Laura não é protagonista, pelo   menos   que   se   saiba,   de qualquer crime – terá apenas na repetição a sua figura de estilo predileta. Mas houve quem aproveitasse a sua deixa da… humidade para elaborar um esquema   de   furtos   em   habitações. E não foi um, nem foram dois. Foram três os homens detidos, só em 2011 e sempre na cidade de Lisboa, por assaltarem donos de casas que acreditavam que se tratava de profissionais credenciados para promover a impermeabilização ou fazer desaparecer as manchas das paredes. Eles faziam desaparecer, sim, mas preferencialmente ouro e computadores.

Hélder Oliveira foi um desses génios. Tocava às campainhas de apartamentos e apresentava-se   como   empreiteiro.   O motivo da visita: tinha recebido a informação de que várias casas do prédio revelavam problemas de humidade e infiltrações,   que   pretendia   resolver. Bem-falante, conseguia convencer os moradores a deixarem-no inspecionar. "Sim senhor, parece ter aqui uma infiltraçãozita", apontava, sempre em divisões com portáteis, telemóveis ou joias à vista. "Arranje-me, por favor, um banco e um pano." O objetivo era ficar sozinho, nem que fosse por um instante. Quantas mais pessoas dentro da habitação, mais pedidos fazia. Uma vassoura, um balde,   o   que   não   levantasse suspeitas. De repente, e com os bolsos cheios, lá explicava que tinha de ir à carrinha buscar um escadote e latas de tinta. A tal tinta especial de que falava a Dona Laura. "Volto já", dizia. É claro que sim.

Não voltou. Às mais de dez casas, sempre nas imediações da estação de comboios de Roma- -Areeiro. A repetição do esquema e a sua curta área geográfica de ação tornaram-no fácil de apanhar. Hélder Oliveira foi detido pela PSP durante o mês de junho de 2011 – depois de vários furtos, incluindo o de um portátil que continha uma tese de mestrado avaliada pela vítima em mais de dez mil euros. Nem eu minto tanto, terá pensado o falso    empreiteiro,    que,    afinal, era um criminoso já com longo cadastro. Por roubos. E não são muitos. E não são poucos. Bastantes. Bom, já chega de internet por hoje. 

Sérgio Pereira Cardoso ladrões do pior
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)