Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Teófilo Santiago

Vergonha

Vão-se conhecendo factos que em nada contribuem para o prestígio da justiça.

Teófilo Santiago 14 de Outubro de 2016 às 00:30
A defesa dos valores e princípios da Justiça e dos seus agentes, quando alvos de ataques soezes, não pode impedir a vigilância e a crítica veemente às leviandades, diatribes e incompetências que acontecem no seu seio, com frequência e gravidade crescentes. Acumulam–se episódios com agentes judiciários suspeitos de atos criminosos - tráfico de drogas, apropriação ilícita de valores, corrupção e por aí adiante.

Vergonha! Noutro plano e doutra natureza, vão-se conhecendo alguns factos que, também, em nada contribuem para o prestígio da Justiça junto da população. Cidadãos que não podem deixar de ficar perplexos e indignados quando, por exemplo, sabem da libertação de umas quantas criaturas, inqualificáveis, responsáveis por um número incontável de crimes em que as vítimas foram idosos, desprotegidos e pobres, impiedosamente esbulhados dos escassos bens que dispunham para sobreviver, roubando-lhes a dignidade e, nalguns casos, a vontade de viver.

E libertados por serem inocentes? Porque não se fez prova em julgamento? Não! Os bandidolas foram libertados porque se deixaram ‘rebentar’ prazos de prisão preventiva, de nada valendo as penas – justas – de muitos anos de cadeia a que já tinham sido condenados. Vergonha... muita vergonha!
crime lei e justiça questões sociais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)