Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Victor Bandarra

O tempo que o tempo tem

Quando se lhe pergunta se vê televisão, Ti Messias surpreende-se sem a mínima ironia.

Victor Bandarra 16 de Abril de 2017 às 00:30

Quem se detém, com tempo, com o tempo que os canais de TV concedem aos velhos mais velhos, há-de reparar que o tempo que lhes é concedido, em lar que é seu ou comprado, em confrarias e misericórdias, tem como imagem e som de fundo os quadrados televisivos preenchidos pelo Fernando "Gordo" ou pela Cristina, mais o Goucha, a Fátima Lopes ou a Maya, segundo previsíveis princípios de gosto e interesse. Para os mais lúcidos sofredores de insónias, ainda sobram as notícias de crime e presumível castigo, bem ou mal contadas, da RTP e CMTV, TVI e SIC.

Que o digam filhos e netos de reformados e pensionistas, os mais próximos preocupados com gente agarrada à cama, mas muitos mais ao sofá e ao ecrã. Que o digam ainda milhares de sem-trabalho, que recebem em casa o presumível e previsível conforto da TV casa adentro. Assim é, podia ser pior.

Há uns anos, alguém ofereceu uma TV ao Ti Messias, granítico agricultor da aldeia de Cheiras, Pinhel, distrito da Guarda. Genuíno guardador de vacas e de sonhos, Ti Messias vai nos 88 anos e é um dos guardiões da preservação de uma das mais raras raças de bovinos do Mundo - a jarmelista. Um dos seus bois e algumas das suas vacas ajudaram a que, hoje, a chamada raça de Jarmelo esteja menos longe da extinção. Ti Messias, mais Dona Quitéria, sua mulher amantíssima, hão-de ficar no livro nobre dos que ajudaram a que a vaca de Jarmelo tenha resistido. Dona Quitéria, apanhando o seu Messias desprevenido, morreu há meia dúzia de anos. E o aparelho de TV lá ao canto. Num dia desta última semana, como todos os dias, Ti Messias levou o boi e suas vacas a pastar ao lameiro. E a saudade a invadir-lhe a memória. "A minha Quitéria partiu com saudades minhas, e eu pr’aqui estou com saudades dela!" Ti Messias, com 22 sobrinhos mas sem filhos, resiste na sua casa granítica. Leva as últimas vacas ao lameiro, mais o seu cão arraçado de Estrela, e por ali fica na conversa com elas, as vacas.

Pelas veredas de Jarmelo passearam-se D. Pedro e D. Inês. Terras que sofreram a vingança do rei cruel. Porque aqui nasceu Pêro Coelho, um dos carrascos de Inês, o rei mandou que não ficasse pedra sobre pedra no velho burgo. Ti Messias conhece por alto a história. De volta a casa, dá um relance à loja com teias de aranha e bebe um copinho de tinto. Um garrafão dá-lhe para três dias. E quando lhe aparece alguém, Ti Messias conta histórias, suavemente brejeiras, sempre ao sabor do tempo. E quando se lhe pergunta se vê televisão, Ti Messias surpreende-se sem a mínima ironia. "Televisão?! Eu tenho lá tempo para ver televisão?!"

Televisão Solidão Ruralidade Terceira Idade
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)