Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
5
28 de Outubro de 2008 às 00:30

Mas é o que está a acontecer, em função do inusitado número de pontos perdidos pelos favoritos, mesmo descontando a também anormal conjugação de ‘clássicos’ em começo de temporada, ditado pelo sorteio da Liga. Forçosamente, os grandes tinham de perder nove pontos e acabaram por perder dez, mas o que não se podia esperar era que, passado esse ciclo, viessem a agravar o desperdício frente a adversários bem menos categorizados.

O Leixões foi a vedeta da semana, fez história ao vencer no Dragão, abrindo uma crise de dimensões ainda incomensuráveis. O Paços de Ferreira ainda não ganhou, mas manteve o Sporting longe dos triunfos. E a Naval esteve muito perto de impor um quarto empate ao Benfica. Leixões, Paços de Ferreira e Naval, a par de Amadora e Nacional, estão ainda bem longe de assegurar o objectivo de não descerem de divisão, mas já conseguiram uns bons 90 minutos de fama.

Ao contrário do que era usual ver, estes surpreendentes jogos dos últimos tempos têm revelado boa organização táctica e algum talento nas equipas de orçamentos mais baixos, embora também esteja a sedimentar-se a ideia de que o nivelamento está a ser feito por baixo. Os reforços, em geral, não convencem e as ausências, sobretudo as de Bosingwa, Paulo Assunção e Quaresma, podem valer um título.

Ver comentários