Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Anjos

A fuga de Américo

Os serviços prisionais concederam uma saída precária a Américo Pissarreira e este resolveu não regressar à cadeia.

Carlos Anjos 2 de Agosto de 2013 às 01:00

Há quem questione o que o levou a não regressar à cadeia, já que o fim da pena e a liberdade definitiva estavam próximas. A análise ao seu comportamento não pode ser feita dessa forma, pois não estamos perante um indivíduo comum. Mesmo a fuga não é nada de anormal, pois é a terceira vez que ele decide não regressar à cadeia.

A pessoa em causa entrou desde muito novo, com 16 anos, no mundo do crime. Tem currículo em furtos, roubos, assaltos à mão armada, tentativas de homicídio e três homicídios consumados. Atualmente tem 42 anos, sendo que passou cerca de 20 anos detido, ou seja, metade da sua vida. Querer analisar a vida deste indivíduo à luz dos mesmos padrões e das mesmas normas aplicadas à generalidade das outras pessoas é um erro profundo. Dizem os serviços prisionais que, quando está preso, é um detido modelo. Claro que é. A sua vida é a dissimulação. Voltaram a acreditar nele e, como é normal, voltaram a ser enganados.

fuga américo pissarreira crime assassino homicídio prisão
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)