Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
9
24 de Março de 2011 às 00:30

A frase ficou célebre e ainda hoje é lembrada por muita gente que não gosta mesmo nada do Presidente da República. Pois bem. José Sócrates também não é homem para perder muito tempo com telejornais e outras coisas mais. O primeiro-ministro fez esta confissão numa conversa bem-disposta e informal no final da entrevista à SIC. Manifestamente satisfeito, apesar da crise política iminente, José Sócrates revelou que tinha acabado de aderir à Meo e gabou logo ali os vários serviços disponibilizados pela serviço de televisão da Portugal Telecom. Particularmente as excelentes séries que ficam a gravar de dia e podem ser vistas calmamente à noite.

Quando alguém duvidou que um primeiro-ministro de Portugal tivesse tempo para isso e conseguisse desligar-se das notícias e debates políticos nos diferentes canais de cabo, José Sócrates riu-se e retorquiu de forma peremptória: "Chego a casa normalmente às dez da noite e farto-me de ver as excelentes séries que programei antes de sair de manhã. Canais de notícias? Nunca. É que a mim ninguém me come vivo e a comunicação social tem a particularidade de comer todos os políticos em vida."

JOSÉ SÓCRATES II: OS MALDITOS JORNALISTAS DE MICROFONE

José Sócrates está igual a si mesmo. No final da entrevista a Ana Lourenço, na SIC, e depois de ter sido novamente interrogado para a SIC Notícias à saída do estúdio, o primeiro-ministro, em conversa com os responsáveis da estação, criticou a impertinência e o poder excessivo dos jornalistas que, de microfone em punho, interpelam os políticos: "Têm poder a mais. Julgam-se os donos de tudo." Mas acabou por reconhecer, a custo, que os da SIC, ao menos, são bem-educados. Vá lá.

GOVERNO: SILVA PEREIRA VAI ACABAR MAL

O ministro Silva Pereira tutela a Agência para a Modernização Administrativa, a AMA. Pois é. Acontece que este exemplo do Simplex não entrega à Segurança Social o que desconta dos trabalhadores. E desconfia-se que faça o mesmo com a ADSE e o Fisco. Se isto muda, o homem ainda acaba atrás das grades.

SUPREMO TRIBUNAL: NORONHA CORTA NOS CROQUETES

Muitos dizem que a abertura do ano judicial foi uma vergonha. Discursos miseráveis, ataques mútuos, queixinhas, enfim, um espectáculo que mostrou bem por que razão a Justiça está como está. Mas a fúria de muitos dos participantes virou-se justamente para Noronha do Nascimento, anfitrião da coisa. É que o presidente do Supremo Tribunal de Justiça decidiu cortar nos comes e bebes. A razão pode ser a austeridade. Mas houve quem desconfiasse de retaliação.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)