Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Magalhães e Silva

Abençoada recessão

No período que antecedeu as eleições de 2011, quem ousasse dizer que a crise não era apenas fruto da política de Sócrates era logo apodado de acrítico defensor do engenheiro.

Magalhães e Silva 18 de Novembro de 2012 às 01:00

E o paradigma económico assente nas obras públicas, imobiliário e expansão do consumo interno, inaugurado por Cavaco? Nem pensar.

E a crise sistémica na Europa? Só faltava.

No frenesi de derrubar o engenheiro, a classe política portuguesa limitou-se a pensar taticamente e a silenciar a realidade que enfraquecesse o seu propósito. Digo isto com o à vontade de, nesta coluna, ter sido um severo crítico de Sócrates. Este quadro é, todavia, portador de esperança.

A classe política e grande parte do eleitorado do norte da Europa, que têm sustentado esta cruzada de punições ao Sul – empobreçam para merecer algum pão –, já têm a recessão à porta dos seus países. Falta, por isso, pouco para virem tecer loas à austeridade com investimento, muito investimento, agora que lhes toca na pele o castigo que, hipócritas a viver do nosso deficit, nos quiseram infligir.

Abençoada recessão.

 

Coluna segundo as regras do Acordo Ortográfico

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)