Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
17 de Setembro de 2005 às 00:00
SIM
Quanto mais depressa melhor. Face à falta de coragem dos deputados em legislar, de vez, a liberalização do aborto, torna-se indispensável a realização de um referendo. Quando há a hipótese de o fazer já, não tem sentido esperar até 2006 para votar e solucionar uma questão que tanto divide a sociedade portuguesa. Até porque o tema está mais do que debatido desde o referendo anterior.
Pedro Sequeira, Editor de Desporto
NÃO
A marcação da data para o referendo ao aborto deveria merecer um amplo consenso parlarmentar, estando para mais todos os partidos de acordo sobre a necessidade de realização de nova consulta popular. Só por razões de calculismo político se pode compreender a pressa do PS em querer o novo referendo ainda este ano, tornando-se um elemento perturbador nas eleições presidenciais.
José Rodrigues, Subeditor de Política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)