Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
2
10 de Setembro de 2008 às 00:30

Nos bastidores e num horrendo monólogo na SIC Notícias, Portas dirigiu, conjurou e coagiu o partido através dos idólatras que tinham ficado no Parlamento e no aparelho enclausurado do CDS. Afastado o percalço Ribeiro e Castro, foi um Portas enfunado que retomou a posse plena da sua propriedade. Fez mal. Voltou antes de tempo.

Sobretudo regressou ainda mais igual ao pior de si próprio. Hoje, Portas é um político velho, gasto e redundante, que transformou o CDS num bibelô, sem graça, do regime. Nada cresce à sua sombra: Diogo Feio é o melhor líder parlamentar desde há muitos anos – Portas, claro, só vê um remédio: substitui-lo.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)