Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
8
16 de Novembro de 2008 às 00:30

Os ‘boinas verdes’ e ‘vermelhas’ de Portugal devem voltar ao Afeganistão, como componente do esforço combinado dos EUA e da NATO na estabilização daquele país, que Obama vai dinamizar. Perante a situação actual do teatro de operações (TO), que uma reanálise estratégica do Pentágono descreve como "terrível", é necessária uma nova estratégia, abrangendo o Paquistão, que envolva negociações com as tribos locais e com os taliban dispostos a participar na governação afegã e a se desligar dos objectivos globais da al-Qaeda.

E entre os EUA e o Irão, vizinho do Afeganistão e do Iraque, o que poderá facilitar o caminho que se pretende, através de uma espécie de ‘aliança’ contra a al-Qaeda. As negociações só resultarão numa posição de força, enviando mais efectivos para o TO, a que os europeus se não deverão esquivar. Portugal deve mostrar-se disponível para participar nesse reforço, contribuindo também para a segurança da região, o que é do nosso interesse.

Obama faz bem em intensificar a luta contra os taliban e a al-Qaeda?  (Paulo Valente, Lisboa)

Das existentes, foi sempre a ameaça mais perigosa. A do Iraque foi ‘criada’ por Bush e, agora, não sendo possível inverter o seu fracasso, há condições de retirar progressiva e cuidadosamente as forças nela empenhadas.

(Envie as suas questões para o general Loureiro dos Santos para o e-mail: internacional@correiomanha.pt)

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)