Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
1
18 de Abril de 2013 às 01:00

Ou seja, têm de financiar mais e melhor as nossas empresas, com condições de crédito mais amigas, em especial as PME. Fernando Ulrich foi um dos mais ‘indignados’ a reagir a este apelo. Além de dar a entender que não é bem assim, ‘estranhou’ que Passos Coelho não tivesse conversado com ele sobre o assunto. Mais estranho é os bancos não passarem cartão às empresas que precisam de financiamento para criar empregos e riqueza para o país.

Mas o Dr. Ulrich foi tão rápido a reagir que nem teve tempo de ler o World Economic Outlook, do FMI, que confirma que a banca portuguesa está entre as que mais impedem o acesso da economia ao financiamento. E outro facto que o próprio podia confirmar é que o seu banco, o BPI, assim como o BCP e o Banif (os três em que o Estado injetou dinheiro), foi o que mais reduziu o crédito às empresas, mais do que a média do setor bancário português. A verdade custa a ouvir? Aguente, Dr. Ulrich, aguente.

banqueiro ulrich bancos capital economia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)