Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
9
7 de Março de 2012 às 01:00

Atirado às feras, o académico que veio do Canadá começou por ser uma vítima da incompetência de quem o aconselhava. Os primeiros tempos de Santos Pereira foram penosos, desde o dia em que resolveu pedir para o tratarem simplesmente por ‘Álvaro’.

Dono de um pensamento económico próprio, o que é raro em Portugal, Álvaro revelou-se um verdadeiro desastre político.

A 14 de Junho de 2011, poucos dias antes de tomar posse, Santos Pereira escrevia no seu antigo blogue, ‘Desmitos’, que "a partir de 2012, vamos pagar um TGV de juros todos os anos só para servir a dívida pública que acumulámos nos últimos anos."

Este é o maior drama de Álvaro Santos Pereira: é uma missão quase impossível ser ministro de uma economia em profunda recessão, que tem de pagar uma dívida pública acumulada na última década, com irresponsabilidade especial nos seis anos do consulado de Sócrates.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)