Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Leonardo Ralha

Aonde é que pára a polícia

Ter a verba para combustível reduzida em 50 por cento não afeta a "operacionalidade" da PSP.

Leonardo Ralha 26 de Fevereiro de 2016 às 00:31
Ter a verba para combustível reduzida em 50 por cento não afeta a "operacionalidade" da PSP. Assim alega o Ministério da Administração Interna, no rescaldo de um corte brutal decorrente do Orçamento do Estado.

Sem constarem entre os filhos diletos das bancadas parlamentares que sustentam o Governo de António Costa, resta aos polícias gerirem com sabedoria os 495 euros que terão em cartão para atestar o depósito de cada viatura durante 2016. Garantiu um dirigente sindical ao CM que "as patrulhas vão continuar a ir às ocorrências", mas sempre foi deixando a surreal ressalva de que "em situações de falta de combustível poderá acontecer que os agentes vão a pé".

Podendo também a PSP acatar o precioso conselho do primeiro-ministro, privilegiando os transportes públicos para fazer as rondas, e deixando ao imposto sobre os produtos petrolíferos o desígnio de custear a política patriótica e de esquerda em curso, talvez chegue o momento em que os eleitores perceberão que existe algo profundamente errado quando o policiamento das ruas é sujeito a uma austeridade seletiva.

Afinal de contas, aonde pára a polícia? Pára onde lhe acaba o gasóleo.
Ministério da Administração Interna Orçamento do Estado Governo de António Costa PSP política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)